PUBLICIDADE


-

Esportes, Notícias Visto 46 vezes

A saída de Edilson reforça um adversário do Grêmio… Saiba mais…

Confesso que não ainda não tive uma ideia definitiva sobre a anunciada saída de Edilson, que deve ir para o Cruzeiro, que, por sua vez, cederá o atacante Alisson ao Tricolor. Anteriormente, o que se divulgava é que o Cruzeiro teria que pagar uma fortuna para tirá-lo da Arena, algo em torno de R$ 40 milhões. Nestas condições, neste espaço, cravei: vai tranquilo, é muita grana, acharemos um nome à altura com essa quantia.

Agora, as coisas mudaram de figura. Para liberar Edilson em definitivo, o Grêmio receberá 30% dos direitos econômicos de Alisson. Sabe-se lá se isso é bom ou ruim.

Pode Alisson jogar muita bola, se valorizar, ser vendido e coisa e tal. Mas, ao mesmo tempo, pode seguir na mesma que está atualmente, meio “chove-não molha”. E, me chama atenção o fato de o Cruzeiro conseguir tirar um dos principais jogadores do Grêmio, e não liberar alguns dos seus principais, o que deveria ser uma das exigências. 

Mas, com a grana que está sendo noticiada que o lateral vai ganhar em Minas Gerais, certamente sua cabeça já está longe do Rio Grande do Sul. E é justo. Não quer jogar aqui, vai embora, sem problema nenhum, deu grandes contribuições.

Confio muito nas soluções encontradas pelo presidente Bolzan para os desfalques que tivemos até o momento, vide os casos de Wallace, Maicon e tantos outros. Mas fico em dúvida sobre como ele poderá sanar essa questão.

Edílson não é fenômeno, mas é baita lateral, cruza bem, marca bem, é raçudo, aquele cara importante para qualquer time. E ainda vai reforçar um dos mais fortes concorrentes do Grêmio em 2018, em todas as competições que ambos disputarão. 

Fonte/ Gaúcha ZH


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES

-