PUBLICIDADE


Prefeito reeleito é cassado no RS; áudios e vídeos são analisados, SAIBA MAIS

Ministério Público aponta tentativa de compra para troca de partido

Desde a semana passada, a população da cidade tem realizado protestos em frente ao fórum.
Foto: Reprodução / RBS TV

 

A pouco mais de um mês da posse dos prefeitos eleitos em outubro, moradores de Arroio Grande, na Região Sul do Rio Grande do Sul, ainda não sabem quem vai assumir o cargo na cidade. O motivo é a cassação da chapa vencedora, composta pelo prefeito reeleito Luis Henrique Pereira da Silva (PP) e o vice Ivan Antônio Guevara Lopes.
Áudios e vídeos anexados à denúncia são analisados pela Justiça.
Também foi deferido o pedido de cassação do registro do candidato a vereador Sidiney Jesus Mattos Bretanha (PSB), declarando, ainda, a sua inelegibilidade e a do prefeito eleito pelo período de oito anos, a contar do pleito de 2016, por abuso de poder político e econômico.
Conforme denúncia do MP, com a ajuda do vereador, o prefeito tentou comprar a troca de partido de outro candidato a vereador, Deivi Oliveira (DEM). A ideia era que o político entrasse para a chapa deles.
A Justiça Eleitoral informou que aguarda a chegada dos recursos. Se a decisão da cassação for confirmada nas próximas instâncias, novas eleições para prefeito debem acontecer no município.
O prefeito Henrique da Silva disse que vai recorrer da decisão. A reportagem não conseguiu contato com o vereador Sidney Bretanha. Já o candidato a vereador Deivi Oliveira disse que essa não foi a primeira vez que isso aconteceu, e que fez a gravação com o auxílio da Polícia Federal para denunciar o caso.
Desde a semana passada, a população da cidade tem realizado protestos em frente ao fórum.
Em áudio gravado pelo próprio candidato a vereador que se disse coagido, Bretanha oferece um tatame para a academia que ele trabalha.
“A gente gostaria de te ter na nossa campanha, né? A princípio, a possibilidade de tu não ser mais candidato lá, né? Abrir mão da candidatura e apoiar o Henrique e a mim, né. O Tatame até consegui tirar pela prefeitura, pelo fundo de esporte”, diz ele na gravação.
Bretanha também se oferece para pagar a pensão alimentícia do filho do candidato, se ele trocar de partido. “O que tu paga de pensão aí?”, pergunta. “Ah, eu pago 260 [reais]”, responde. “260 [reais]? Eu consigo te segurar aí, uns dois meses eu consigo te ajudar, não sei”, conclui o vereador eleito.
No mesmo áudio, o prefeito reeleito reforça os benefícios. “Pode ter certeza que, se tu ficar conosco, tu vai ter o nosso retorno. O teu retorno seria na tua necessidade, na tua necessidade, na hora que tu precisar”, diz.
Antes de saber que havia sido cassado, o prefeito reeleito – que continua à frente da prefeitura até o fim do atual mandato – falou sobre as denúncias.
“Eu tenho consciência, junto com doutor Ivan, somos ficha limpa, sim! Somos gente de receio, respeito, sim”, afirmou.
Outras acusações contra Henrique da Silva e Sidnei Bretanha são analisadas pela Justiça. Um vídeo anexado à denúncia, mostra moradores de Arroio Grande recebendo cestas básicas uma semana antes das eleições. Uma mulher que aparece na entrega dos alimentos diz de quem é o “presente”.
“É do Sidnei [Bretanha, vereador eleito]”, diz ela. “Não é do Henrique [da Silva, prefeito reeleito]?”, questiona um homem. “É, também”, responde outra pessoa.
Para ganhar o benefício, porém, o eleitor tem de se comprometer com o voto. “Vocês tão dando rancho assim pra quem quiser? Como é que é?”, pergunta uma pessoa. “Não. Só pra quem vota”, responde um cabo eleitoral.
A doação de material de construção durante o período eleitoral também está em julgamento. Uma moradora diz ter recebido tijolos, sacos de cimento e vigas para a construção da casa, um mês antes da eleição.

Fonte: G1


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES