PUBLICIDADE



Notícias, Polícia Visto 1.873 vezes

Passageiros de ônibus assaltado ficaram de roupa íntima e presos em bagageiro, uma das vítimas relatou que ‘Ar já no fim’ quando conseguiram sair do bagageiro, veja fotos

 

Ônibus foi alvo de disparos na madrugada deste sábado (Foto: Cleriton Freire/Caçador Online)
Uma das passageiras do ônibus da viação Catarinense que foi assaltado na madrugada deste sábado (29) em Caçador, no Oeste, relatou à reportagem da RBS TV como foram os momentos em que o grupo ficou em poder de criminosos, preso dentro do bagageiro. Duas mulheres ficaram feridas. A polícia não tem informações sobre a quantia roubada. Ninguém foi preso.
“Pediram para que todo mundo tirasse as roupas, e diziam que se eles encontrassem mais dinheiro escondido ia ser pior. Ameçavam muito, e tudo aos berros. Tinha criança dentro. Todo mundo ficou meio atônito”, contou a passageira, que preferiu não ter o nome divulgado. Ela disse que não tem ideia de quanto tempo o grupo ficou no porta-malas até conseguir abrir. “O ar já estava no fim, já estava começando a dar desespero nas pessoas”.
Conforme a viação Catarinense, o ônibus havia saido de Florianópolis com destino a Assunção, no Paraguai. Por volta das 23h, o veículo recebeu novos passageiros em Caçador e seguiu viagem.
Segundo os passageiros relataram à Polícia Militar, quando o ônibus chegou ao distrito de Taquara Verde, ainda no município, um veículo emparelhou e começaram a ser feitos disparos contra a cabine do motorista, que foi obrigado a parar.
Ainda segundo o relato dos ocupantes, um homem ficou no carro e outros três subiram no ônibus e renderam os passageiros. Eles tinham os rostos cobertos e portavam armas curtas, segundo os relatos, e ainda fizeram dois disparos para o alto dentro do ônibus.
Os ladrões levaram dinheiro e pertences dos passageiros e os obrigaram a ficar apenas de roupa íntima, trancados no bagageiro do ônibus. Em seguida, o motorista teria sido obrigado a conduzir o ônibus até uma área de reflorestamento, e depois foi colocado no bagageiro junto com os passageiros.
Somente algumas horas depois as vítimas conseguiram sair do porta-malas e o ônibus seguiu de volta para a rodoviária, a cerca de 30 km de distância. Em imagens feitas ainda na madrugada, é possível ver marcas de tiros no veículo. Um pneu ficou destruído.
Em nota, a viação Catarinense informou que “enviou um ônibus reserva ao local e está prestando atendimento aos passageiros e familiares.” O G1 também tentou contato com a Polícia Civil na região e aguarda retorno.
‘Todo mundo se ajudava’
A passageira ouvida pela RBS TV contou também como foi a abordagem. Os passageiros se acomodavam para dormir quando começou um barulho. “Parecia uma chuva de granizo forte. Nisso o ônibus deu uma parada, o pessoal já ficou em alerta: deve ser um assalto. [Os assaltantes ] entraram gritando que era para todo mundo baixar a cabeça e foi um horror. Era para tirar todo o dinheiro que tivesse e que não era pra olhar para eles, eles repetiam muito”, contou a mulher.
“Ficamos só com as roupas íntimas, estava muito frio. Tiraram tudo do bagageiro e colocaram a gente lá dentro. Enfatizavam muito para não fazer barulho. Todo mundo se ajudava, por causa do frio, as mulheres se acolhiam, uma acalmava a outra, a gente acalmava a mãe para que a mãe acalmasse a criança”.
Mulher foi hospitalizada
Quando o grupo conseguiu abrir o compartimento por dentro, o motorista decidiu retornar de ônibus com os passageiros para a rodoviária de Caçador. Os bombeiros voluntários foram acionados pouco antes das 3h da madrugada. Eles informaram que atenderam no local uma mulher ferida no rosto por estilhaços. Outra foi levada para o Hospital Maicê, segundo a PM, com estilhaços de bala na cabeça, mas sem risco de vida. A unidade de saúde não passou detalhes sobre o estado de saúde da paciente, mas confirmou na tarde deste sábado (29) que ela continuava internada e que não corria risco.
“Foi trágico, muito trágico esse assalto no ônibus. Dinheiro foi, mas é bem material. Os danos psicológicos vão ficar. Tinha criança ali apavorada, a gente fechada no porta-malas abafado. Terrível. Só deixaram nós com roupa íntima”, relatou outra passageira, moradora de Caçador, em vídeo publicado em uma rede social.
“Nós nascemos de novo. Eles estava ali para matar ou morrer, era uma tropa de mostros. Mas graças a Deus passou tudo e a gente já está em casa”, disse.

 


Fonte: G1


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES