PUBLICIDADE


-

O Radialista Rafael Henzel, sobrevivente do avião da Chapecoense de entrevista ao Fantástico, CONFIRA ENTREVISTA EMOCIONANTE NA INTEGRA

“De repente, desligaram as luzes do avião”, diz jornalista que sobreviveu ao acidente com avião da Chape

O radialista Rafael Henzel, que volta amanhã ao Brasil, falou ontem por telefone com o jornalista da Rede Globo José Roberto Burnier. A entrevista foi veiculada no Fantástico. Durante a conversa, Henzel deu detalhes dos momentos que antecederam o acidente e ainda contou o que viu logo após a queda da aeronave.

Segundo o radialista, ele estava sentado na penúltima fileira do avião, na poltrona do meio. Ao lado dele estava o cinegrafista da RBS TV, Djalma Araújo Neto, e o colega de Henzel, Renan Agnolin.

– Dos voos que eu fiz com a Chapecoense, esse realmente estava sendo o melhor de todos. Não podia existir momento ideal para todos. Foi a viagem com a maior interação, conversando com a imprensa – contou Henzel.

Ele detalhou que os jogadores e comissão técnica ficaram sentados do meio para a frente da aeronave, enquanto os jornalistas estava na parte de trás. Pouco antes do acidente, Henzel lembra que os passageiros perguntavam aos tripulantes quanto tempo faltava e a resposta era sempre a mesma: ¿10 minutos¿.

– De repente, simplesmente desligaram as luzes do avião. Desligaram os motores e todo mundo voltou para o seu assento e colocou o cinto de segurança. A hora que isso aconteceu causou um certo temor. Mas ninguém imaginou que a gente bateria naquele morro – detalhou.

O mais impactante, segundo o radialista, foi perceber, logo após a queda, que os colegas ao seu lado estavam mortos.

– O momento mais triste foi ver os dois colegas do meu lado. Chamei pelos dois. Lamentei muito. Mas tive que buscar forças, apesar de estar com sete costelas quebradas – relatou.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES

-