PUBLICIDADE



Geral, Notícias Visto 216 vezes

Mudam as regras para pagamento de boletos bancários

A partir de 2017 será possível pagar documentos vencidos em qualquer banco

Pagar boletos bancários vai ficar mais fácil e seguro em 2017. A plataforma, que gera cerca de 3,5 milhões de títulos por ano no País, está sendo atualizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para ser controlada com mais efetividade pelas instituições financeiras. E as vantagens para os consumidores são grandes. Será possível, por exemplo, quitar boletos vencidos em qualquer banco. Ainda serão reduzidos os riscos de fraude e de pagamento em duplicidade.

As mudanças são na forma de emissão e recebimento dos boletos. Por isso, nada vai mudar para os consumidores que usam boletos para pagar cartões, condomínios, escolas e planos de saúde, o que representa quase 60% dos títulos de cobrança emitidos no País, segundo o Banco do Brasil.

Foi criada também uma central que vai armazenar e cruzar os dados de todos os boletos emitidos. Hoje, cada banco emite seu boleto e muitos não são registrados. Agora, todos serão registrados na Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP). Com o cruzamento de dados, os bancos poderão checar até as informações nos boletos emitidos por outras instituições financeiras, o que vai permitir o pagamento de títulos vencidos em qualquer agência, independentemente do emissor da fatura. O pagamento também será registrado.

Por isso, caso alguém se confunda e tente pagar uma conta por duas vezes, o sistema vai dar o alerta e evitar pagamento em duplicidade. Se os números do código de barras forem digitados incorretamente, o sistema também vai apontar o erro. A previsão é de que a Câmara comece a operar em janeiro para já receber boletos em 8 de março.

Como fica para as empresas
Apesar de não mudar a forma como os consumidores pagam suas contas, a nova plataforma de emissão e checagem de boletos bancários vai exigir mudanças nos estabelecimentos comerciais que emitem as faturas. Afinal, condomínios, escolas e planos de saúde terão que entregar boletos registrados, com o nome e o CPF dos clientes, para, logo em seguida, enviar esses dados para a Câmara Interbancária de Pagamento.

A atualização deve, portanto, trazer mais custos às empresas que hoje usam boletos simples.

*Agência Brasil


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES