PUBLICIDADE


Geral, Notícias Visto 67 vezes

Morre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant’Ana, aos 78 anos, um Gremista fanático que fez história no jornalismo, confira reportagem

 
 

Paulo Sant’Ana morreu aos 78 anos em Porto Alegre (Foto: Cedoc/RBS TV)

Morreu na noite desta quarta-feira (19) no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, aos 78 anos, o jornalista Paulo Sant’Ana. Ele foi vítima de insuficiência respiratória e infecção generalizada.

O corpo será velado a partir das 8h30 desta quinta (20) na Arena do Grêmio. Inicialmente será reservado para amigos e familiares e, após às 11h, para o público em geral. O sepultamento será realizado no final da tarde no Cemitério João XXIII.

De acordo com boletim divulgado pelo hospital, Sant’Ana deu entrada na manhã desta quarta, “já em situação bastante debilitada”. Ele ficou cerca de 12 horas internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), até ter a morte constatada às 22h10.

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, lamentou a morte por meio do Twitter. Ele afirmou que o jornalista era um “personagem” do estado.

 

À Rádio Gaúcha, Sartori classificou Sant’Ana como uma “figura que transcende qualquer coisa normal”. “Ele era surpreendente em tudo”, comentou.

“Ele era verdadeiro e muito criativo. Tinha uma presença de espirito extraordinária. O que mais chamou a atenção para mim é a evolução dele como escritor, como cronista. A forma, a maneira de expressar, a análise de situações específicas da cidade e do nosso Rio Grande, sempre muito espirituoso e criativo.”

 

O presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, também lamentou a morte do comunicador. “Hoje é um dia triste para o nosso estado, triste para a comunicação e muito triste para a RBS. Participou da nossa vida por mais de 40 anos, virou um amigo. A gente perde um pedaço grande de cada um, da nossa empresa. Estamos muito tristes, muito emocionados, é uma pena mesmo”, disse Melzer em entrevista à Rádio Gaúcha.

 
Morre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant'Ana, aos 78 anos

Morre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant’Ana, aos 78 anos

 
Morre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant'Ana, aos 78 anos

Morre em Porto Alegre o jornalista Paulo Sant’Ana, aos 78 anos

Times lamentam morte

O Grêmio, clube do qual Sant’Ana era um dos torcedores mais ilustres, divulgou uma nota lamentando a morte do comunicador. “Reconhecido como um dos torcedores mais fervorosos do Grêmio, esteve presente em momentos históricos do Clube, como na conquista do primeiro título da Copa Libertadores da América e do Mundial, em 1983. Neste momento de dor, o Clube se solidariza com os seus familiares e amigos”, diz o texto.

 

O Internacional também lamentou a morte do colunista, em nota divulgada nas redes sociais do time. “Figura marcante da crônica gaúcha, sempre demonstrou respeito ao Clube do Povo, alimentando uma rivalidade saudável no futebol do Rio Grande do Sul. Seus textos e comentários perspicazes, a sua personalidade forte e o humor inteligente farão falta na imprensa. O Internacional se solidariza com a família e os admiradores de Paulo Sant’Ana.”

 
Veja momentos marcantes da carreira de Paulo Sant'Ana

Veja momentos marcantes da carreira de Paulo Sant’Ana

Trajetória e fanatismo pelo Grêmio

 

Sant'Ana foi comentarista do Jornal do Almoço, da RBS TV (Foto: Cedoc/RBS TV)Sant'Ana foi comentarista do Jornal do Almoço, da RBS TV (Foto: Cedoc/RBS TV)

Sant’Ana foi comentarista do Jornal do Almoço, da RBS TV (Foto: Cedoc/RBS TV)

Um dos jornalistas mais populares do Rio Grande do Sul, Francisco Paulo Sant’Ana nasceu no dia 15 de junho de 1939 na rua conhecida hoje como João Alfredo, no bairro Cidade Baixa, Região Central de Porto Alegre. Trabalhou como feirante até ingressar na Polícia Civil onde foi inspetor e delegado. Nesse período passou a ter contato com jornalistas especializados em polícia, mas foi o início de seu contato com a imprensa.

 

Torcedor fanático do Grêmio, virou um personagem junto à torcida tricolor no antigo Estádio Olímpico. Isso lhe rendeu convites para participar do programa esportivo Conversa de Arquibancada, da TV Piratini, retransmissora da TV Tupi no Rio Grande do Sul. Esse foi seu primeiro contato com a comunicação.

Essa sua posição de eloquente defensor do tricolor gaúcho lhe rendeu a oportunidade de participar do Sala de Redação, da Rádio Gaúcha no começo da década de 70. Em 1971, foi contratado para escrever uma coluna esportiva no jornal Zero Hora. No ano seguinte ingressou no quadro da Rádio Gaúcha e depois passou a atuar como colunista no Jornal do Almoço, na RBS TV.

Sant’Ana dizia em entrevistas que queria ser lido e conhecido por um público cada vez maior, por isso não recuava frente à polêmica.

Durante 19 anos escreveu sobre futebol até ganhar o espaço deixado na penúltima página do jornal Zero Hora depois da morte de Carlos Nobre, em 1989, em uma coluna diária sobre assuntos gerais.

Em 1993 foi tema do enredo”O Menestrel da Cultura Popular – Francisco Paulo Sant’ana” realizado pela escola de samba Acadêmicos da Orgia.

Entre seus principais feitos, elencava a vez em que foi personagem de uma reportagem da revista americana Newsweek depois de relatar em sua coluna a experiência com Viagra em 1998. Também lembrava a conquista do campeonato mundial pelo Grêmio, em 1983, e quando cantou ao lado do cantor Julio Iglesias para 50 mil pessoas no Beira-Rio.

Paulo Sant’Ana deixa mulher e três filhos.

Fonte G1


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES