PUBLICIDADE



-

Esportes, Notícias Visto 95 vezes

Em situação dramática, Inter como em uma “final de Mundial” encara Ponte Preta as 21 horas hoje

Colorado coloca duelo desta quinta-feira como vital para evitar rebaixamento. Direção espera 35 mil pessoas para empurrar time à vitória a partir das 21h, no Beira-Rio

Quem diria. Dez anos depois, o time que conquistou o topo do mundo hoje se esmera para evitar o maior fracasso de sua história. Não à toa, o confronto desta quinta-feira contra a Ponte Preta tem o mesmo contorno dado ao Barcelona na final de 2006. Para vencer mais esta epopeia, o Inter aposta na trinca William, Vitinho e o carinho da torcida.

O medo do rebaixamento voltou a rondar o Beira-Rio após o empate em 1 a 1 com o Santa Cruz. E se confirmou com a derrota por 1 a 0 para o Palmeiras, que recolocou a equipe na zona de rebaixamento. A combinação delicada reflete o momento colorado, que não vence há cinco partidas – três pelo Brasileirão e duas pela Copa do Brasil. Esta conjunção de fatores fez Alex, remanescente do título mundial em Yokohama – além de Ceará – dar o tamanho do duelo.

– Hoje em dia não há nada normal.  A situação que vivemos faz você ter que se entregar o tempo todo. A situação é horrível. Falta muito pouco para escapar, mas o risco é real. Não há margem para erro. O jogo da Ponte é uma final de Mundial. Precisamos estar ligados. Tranquilo não nos serve – comentou o meia, um dos líderes do grupo.

Fernando Carvalho tem pensamento semelhante. O vice de futebol, que lidera o vestiário na cruzada contra a degola, referenda o discurso do camisa 12 e vê os três pontos como a esperança de o Inter seguir vivo para permanecer na elite do Brasileirão.

– O passaporte para seguir sonhando é a vitória – resume o dirigente.

SEM CALCULADORA

Internacional Inter Celso Roth William Inter treino (Foto: Eduardo Deconto/GloboEsporte.com)
Celso Roth volta a colocar William na lateral direita (Foto: Eduardo Deconto/GloboEsporte.com)

A campanha claudicante faz o vestiário não protelar mais a recuperação. O triunfo é fundamental nas pretensões contra o rebaixamento. Até porque, depois, restarão apenas três jogos, com dois longe de Porto Alegre – Corinthians e Fluminense. Por isso, o treinador Celso Roth deixa claro que só a vitória interessa.

– Não adianta fazer cálculo caso não tenhamos a felicidade de um bom resultado contra a Ponte. Não podemos perder, de jeito algum. Se isso ocorrer, a coisa se encaminha de uma maneira absolutamente reta para que tenhamos problemas no futuro. Não temos outro objetivo no jogo que não seja a vitória – declarou.

Tal delicadeza faz a campanha lançada pelo clube tomar cada vez mais forma. O Inter tem como um de seus maiores orgulhos o fato de jamais ter sido rebaixado. E, na luta contra a degola, lançou a hashtag #PelaNossaHistória.

A grandeza do clube é a grandeza da torcida. Temos que usar sim. O torcedor ajuda. Tem feito sua parte. A torcida precisa nos abraçar porque teremos dificuldades
Celso Roth, técnico do Inter

A simbologia traz à tona a dramaticidade da situação e a responsabilidade jogada nos ombros, ou melhor, no gogó dos colorados. São esperados 35 mil torcedores no Beira-Rio, com o único intuito de empurrar o time e deixar de lado os erros e ranços na busca pelos três pontos.

– A grandeza do clube é a grandeza da torcida. Temos que usar sim. O torcedor ajuda. Tem feito sua parte. A torcida precisa nos abraçar porque teremos dificuldades – admite Roth.

A sinceridade do treinador também decorre da dificuldade do Inter em pontuar como visitante. São apenas duas vitórias ao longo da competição. Ainda no primeiro turno, sob a batuta de Argel, superou o São Paulo por 2 a 1 e o Santos por 1 a 0. O duelo na Vila Belmiro ocorreu no dia 29 de maio, ou quase seis meses atrás.

OLHO E OUVIDO NO VITÓRIA

Marinho; Vitória (Foto: Francisco Galvão/Divulgação/EC Vitória)
Vitória de Marinho é o rival do Inter na luta contra o Z-4 (Foto: Francisco Galvão/Divulgação/EC Vitória)

Esta conjunção de fatores já seria o bastante para a dramaticidade. Mas há mais. Enquanto o Inter estiver no aquecimento, no vestiário do Beira-Rio, o Vitória enfrentará o Santos. A partida, marcada para as 19h30 na Vila Belmiro, tem ligação quase umbilical com o confronto em Porto Alegre. Os comandados de Argel podem, no máximo, empatar para que o grupo de Roth saia de campo, caso derrote a Macaca, fora do temido Z-4. Algo que o próprio treinador vê como mais um fator externo a interferir entre os gaúchos.

– É difícil. Me preocupo com o Inter, mas não tenho como fugir das coisas. Não posso me isolar. As coisas ruins chegam rápido. Eu nem preciso fazer força. Não vivo em um lugar fechado. Mesmo que eu diga que não me importo com resultado paralelo, o resultado paralelo se importa comigo e vem – comenta Roth.

MUDANÇAS NO TIME

Vitinho Inter x Santa Cruz (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Vitinho é a principal esperança de gols do Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)

Em  campo, Celso Roth recoloca William na lateral direita em razão da lesão muscular na coxa direita de Ceará. Apesar de não ter atuado mal no meio de campo, o Inter ficou sem ganhar nas cinco oportunidades em que jogou mais avançado. Na função de origem, o camisa 2 volta a compor o sistema defensivo com Paulão, Ernando e Geferson, com quem ganhou duas das três partidas disputadas.

A mudança não é a única. Eduardo Sasha e Valdívia serão os parceiros de Anderson na trinca de meias. Alex perdeu espaço. Porém, a principal novidade é Vitinho. Recuperado do desconforto na coxa direita, o atacante guarda a esperança dos gols. Afinal, é responsável por oito dos 32 tentos colorados na competição, o que representa 25% do total.

A partida com a Macaca será disputada às 21h desta quinta, no Beira-Rio. Atualmente, o Colorado amarga o 17º lugar na tabela do Brasileirão, com 38 pontos, um a menos que o Vitória, último fora da zona de rebaixamento.

> INTER X PONTE PRETA – 35ª RODADA DO BRASILEIRÃO

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre.
Data e horário: quinta-feira, às 21h (de Brasília).
Escalação provável: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Geferson; Anselmo, Rodrigo Dourado, Eduardo Sasha, Anderson e Valdívia; Vitinho.
Pendurados: Andrigo, Aylon, Fernando Bob, Gustavo Ferrareis, Paulão, Raphinha, Seijas e Vitinho
Desfalques: Ceará, Eduardo, Fernando Bob e Marquinhos.
Arbitragem: Heber Roberto Lopes (SC/Fifa), auxiliado por Kleber Lucio Gil (SC/Fifa) e Carlos Berkenbrock (SC).
Transmissão: SporTV (menos Porto Alegre) e PFC.

Fonte G1 – Tomás HammesPorto Alegre


Veja também:

ASSINE SPEEDRS


PUBLICIDADES

PUBLICIDADES